News
O Brasil se consolidou como o país da região onde os fundos de investimento destinam mais recursos a essas empresas.

Plataformas arrecadaram US567 milhões

Apesar das complicações surgidas em 2020 com o início da atual emergência sanitária, o México figurou como o segundo país da América Latina com maior atração de recursos para empresas de tecnologia financeira (fintech).

Segundo relatório do LatamFintech Hub, durante 2020, as empresas mexicanas de tecnologia financeira conseguiram captar, por meio de rodadas de investimentos, um total de 567 milhões de dólares, ou seja, quase 20% do faturamento de toda a região da América Latina, que no total atingiu 2.982 milhões de dólares por meio de 198 convênios.

O relatório destaca a captação de empresas mexicanas de fintech, como a Alpha Credit, que em 2020 obteve 125 milhões de dólares por meio de uma rodada de investimentos liderada pela SoftBank, ou o caso da Credijusto, que levantou 100 milhões de dólares em uma rodada liderada pelo Credit Suisse.

De acordo com o relatório, o país líder na região em atrair recursos para empresas fintech em 2020 foi o Brasil, onde mais de 1.900 milhões de dólares foram investidos, seguido por México, Uruguai, Colômbia, Chile, Argentina, Equador, Porto Rico, Panamá e Paraguai .

“Setembro foi o mês com maior volume de financiamentos, embora outubro tenha sido o mês com maior número de ofertas”, pode ler no relatório sobre os números de 2020.

O relatório destaca que os 2,982 bilhões de dólares obtidos pela região para suas empresas de fintech foram alcançados por meio de 198 rodadas de investimentos. Do total arrecadado, $ 2,515 milhões foram para ações e $ 458 milhões para dívidas.

Da mesma forma, o relatório detalha que a divisão de negócios onde mais recursos foram investidos no ano passado foi a dos bancos digitais, já que do total arrecadado na região esta rubrica representou 34,57%, seguida dos empréstimos online que representaram 28,3% e dos pagamentos digitais que obtiveram 20,37% de todos os recursos.

Primeiro trimestre, com um bom começo

Em relação aos números do primeiro trimestre de 2021, o LatamFintech Hub detalha em outro relatório, que foi registrada uma arrecadação de 1,294 milhão de dólares para as empresas fintech da região, por meio de 90 rodadas de investimentos.

Este valor representa um crescimento de 190% em relação ao mesmo período de 2020, no qual foram obtidos 445 milhões de dólares, e de 22% em relação ao último trimestre do ano anterior, onde foram obtidos 1.062 milhões de dólares.

Em sintonia com os resultados de 2020, neste primeiro trimestre do ano o Brasil foi o país líder na captação de recursos para suas empresas fintech, onde conseguiram arrecadar 969 milhões de dólares, seguido do México onde foram obtidos 207 milhões de dólares e da Colômbia, a país no qual foram investidos 48 milhões de dólares.

Entre os projetos que mais atraiu recursos no primeiro trimestre do ano na região destacam-se a captação do NuBank do Brasil por 400 milhões de dólares ou a rodada de investimentos que a Konfío captou no México por 60 milhões de dólares. como o da Alpha Capital na Colômbia por 40 milhões de dólares.

De acordo com o relatório, do total de recursos captados na primeira metade do ano, 66,7% foram para capital e 33,3% para dívidas. Os fundos mais ativos no primeiro semestre do ano na região da América Latina foram Combinator e SoftBank dos Estados Unidos, Domo do Brasil e Kayak do Chile.

Principal atração de recursos no primeiro trimestre do ano

  • NuBank, $ 400 milhões.
  • Stone, $ 95 milhões.
  • Cashme, $ 87 milhões.
  • RechargePay, $ 70 milhões.
  • Konfío, $ 60 milhões.

 

Fonte: El Economista